sábado, 22 de agosto de 2015

15 08 2015  AMARELA


Barragem de Vlilarinho da Furna...Toutas...Ramisquedo...Louriça...

a descer...

Chã do Muro...Chã de Cima...Peito de Gemessura...fim da atividade em Barragem de Vilarinho da Furna


 - Fim do dia da véspera desta caminhada decidimos ir até à montanha. Preparamos as mochilas e cedo a descansar. Saímos de casa ainda estava noite e fui vendo o nascer (tímido) do sol pela viagem enquanto a Margarida dormia no banco do lado. Tinha programado a actividade para as Fichinhas por Fafião mas mudei de planos. A Margarida à algum tempo falava na Amarela decidi que fazíamos a Amarela embora nada conhecesse por aquelas bandas. As Fichinhas ficariam para a próxima autonomia ou será a Encosta do Sol…se alguém ler este artigo (o que tenho dúvidas) qual das duas!?
 - Barragem de Vilarinho da Furna 07h45m. Nevoeiro… não se via a parede da barragem na sua totalidade e estava fresco. Começamos e só começamos a sentir mais conforto a meio do caminho que nos leva até a Aldeia. Paramos para uma sande.
 - Na passagem pelo moinho da Aldeia o Sol já tinha afastado o nevoeiro e notava-se que seria uma jornada bem quente e foi não só no que concerne à temperatura do ar como à actividade por si. Por alturas de Toutas/Ramisquedo por varias vezes equacionei abortar a actividade e voltar para trás. Viam-se muitas nuvens escuras a aparecer e para o lado Norte bem cinzentas…mas fomos andando subindo até que depois do almoço chegados a Louriça (antenas) decidi que já não havia retorno…a natureza que decidisse íamos até ao fim.
 - O meu receio era a partir deste ponto na medida que me informaram haver pouca marcação em determinados sítios e seria necessário estarmos atentos.
  -Saímos das antenas e aqui e ali notasse uma morrinha muito miúda…por várias vezes perdemos o rumo uma das vezes tive receio pela Margarida mas portou-se  muito bem, quando tivemos de deixar o muro que nos acompanhava desde as antenas, portanto virar para a esquerda, andamos demasiado e chegados a um ponto que para voltar para cima e apanhar o percurso correcto houve mesmo que trepar e não adiantava nada dizer que não, é nestas situações que a nossa força mental nos dá o impulso…trepamos mesmo e atrás era bem alto… reencontramos o caminho. Disse à Margarida para olhar para trás e ver onde tínhamos andado e feito…disse que não, tinha medo de olhar!
 -Depois do Peito de Gemessura e na descida a chuva que era miúda deixou de o ser e sempre a acompanhar-nos até meio da Barragem. A descida para nós foi complicada, muito areão e pedra solta com chuva não foi nada fácil.
- Passada a cancela do estradão e no início da Barragem foi a descompressão, alegria, felicidade com alguma comoção por termos estado na Montanha,  termos sózinhos conseguido fazer o trilho… a próxima será uma autonomia…
 - vemo-nos ai por esses caminhos…


























































































































































































































































































2 comentários:

Célitos disse...

Olá Raul, voces tiveram coragem em fazer este trilho com tempo humido, já com bom tempo é durinho, que dizer com chuva?
Uma duvida, voces não usam gps?
Parabens por ter tudo corrido bem, mas não arrisquem com chuva este tipo de trilhos em relação à Encosta do Sol para mim é dos trilhos mais bonitos que existem no Gerês mas deve ser feito com temperatura abaixo dos 25ºC e de preferencia céu limpo para paisagens serem divinais.
Boas caminhadas

Teixeira

Célitos disse...

Olá Raul, desculpe utilizar este meio mas para lhe responder tem de ser assim.
O filtro de água foi das melhores coisas que adquiri. O meu foi comprado através de um companheiro nosso aqui de gaia ( no Wikiloc tem usuario de SSTEFAN) sei que foi comprado atraves de um site alemão mas tambem se pode comprar através do ebay basta no google escrever Filtro agua sawyer e depois é só escolher qual.
boas caminhadas

Teixeira